CATÁLOGO TÉCNICO 2.006
 
HE (Habitante Equivalente): É um valor de conversão. Se os habitantes equivalentes são baseados na DBO5, significa que o habitante equivalente se baseia numa exigência bioquímica de oxigénio (O2) para cinco dias da água residual correspondente a 60 gr/(hab.·dia). Unidades: gr/dia.
 
AGLOMERAÇÃO URBANA: É a zona cuja população e/ou actividades económicas apresentam concentração suficiente para a recolha e condução das águas residuais urbanas para uma instalação de tratamento das referidas águas ou para um ponto de vertimento final.
 
ÁGUAS COSTEIRAS: São as águas situadas fora da linha de baixa-mar ou do limite exterior de um estuário.
 
ÁGUAS RESIDUAIS DOMÉSTICAS: São as águas residuais procedentes de zonas de habitação e de serviços, produzidas principalmente pelo metabolismo humano e pelas actividades domésticas.
 
ÁGUAS RESIDUAIS INDUSTRIAIS: São todas as águas residuais escoadas de locais utilizados para efectuar qualquer actividade comercial ou industrial, que não sejam águas residuais domésticas, nem águas de corrente pluvial.
 
ÁGUAS RESIDUAIS URBANAS: São as águas residuais domésticas ou a mistura das mesmas com águas residuais industriais e/ou águas de corrente pluvial.

 
BARREIRA QUÍMICA: Camada interior de um tanque, fabricada com resinas especiais de maior resistência à corrosão dos produtos químicos. A sua espessura e composição variarão em função do líquido a conter, da sua concentração e temperatura.
 
BIODEGRABILIDADE DA ÁGUA RESIDUAL: É a relação entre a DBO5 e a DQO, deduzindo-se deste índice se a água a depurar é de origem doméstica ou industrial.
BIOFILL: Enchimento plástico de alto rendimento que, pela sua estrutura, facilita a aderência dos microrganismos aeróbios, que são os responsáveis por degradar a matéria orgânica contida na água.
 
CABINA DE INSONORIZAÇÃO: É o conjunto de elementos modulares desmontáveis de chapa galvanizada revestidos com material absorvente sonoro e auto-extinguível. A cabina dispõe no seu interior de reflectores e labirintos insonorizantes, para evitar a propagação sonora através das grelhas de ventilação.
 
CANAL PARSHALL: Caudalímetro modelo Parshall em canal aberto. É constituído por três secções com um formato especial, com a finalidade de conseguir medir o caudal que o atravessa.
 
CAUDALÍMETRO: Equipamento mediante o qual se executam as medições para determinar o caudal de um efluente e seguir a sua evolução no tempo.

 
COALESCÊNCIA: São células em forma de ninho de abelha, fabricadas em polipropileno, instaladas dentro do separador de hidrocarbonetos, que permitem conseguir um maior rendimento. Este enchimento coalescente provoca um espessamento das pequenas gotas de óleo ou hidrocarboneto por agrupamento destas. Estas gotas de tamanho maior separam-se melhor do efluente, de modo que flutuam mais rapidamente à superfície. Graças à incorporação do enchimento coalescente, os separadores de hidrocarbonetos alcançam um rendimento tal que permite obter uma concentração de hidrocarbonetos no efluente de saída inferior a 5 mg/l.
 
CALÇOS: Elementos de suporte para as cisternas de superfície. Estas estruturas de poliéster reforçado com fibra de vidro (P.R.F.V.) abraçam o equipamento para um melhor assentamento na superfície.
 
QUADRO ELÉCTRICO: Armário onde se localiza a ligação eléctrica das bombas e dispositivos electromecânicos das estações depuradoras de oxidação total e poços de bombagem.
 
DBO5 (Exigência Bioquímica de Oxigénio em 5 dias): Concentração em volume de oxigénio (O2) dissolvido consumido em condições específicas (5 dias a 20ºC com ou sem inibição da nitrificação) por oxidação biológica da matéria orgânica e/ou inorgânica da água. Unidades: mg/l.
 
DECANTAÇÃO: Processo através do qual se produz a separação das matérias em suspensão presentes na água, devido ao que as águas se acalmam e os sólidos se depositam no fundo do compartimento, por influência da gravidade.
Unité: /L.
 
DEPURAÇÃO BIOLÓGICA: O objectivo do processo biológico é a eliminação, estabilização ou transformação da matéria orgânica presente nas águas residuais como sólidos não sedimentáveis. Esta acção é conseguida pela acção dos microrganismos através de duas acções complementares: metabólica e físico-química.
 
DESBASTE: Retenção, através de uma grelha de desbaste, manual ou automática, dos sólidos grossos do tipo plásticos, madeiras, alimentos, etc., para impedir a sua entrada nos equipamentos de depuração.
 
DIFUSOR: Elemento fabricado com membrana de micro-bolhas integrado nos reactores das oxidações (ROX). Através dos difusores sai o ar fornecido pelo arejador, garantindo dois processos indispensáveis ao bom rendimento da depuração: oxidar a matéria orgânica presente na água fecal e agitar a massa de água para homogeneizar o conteúdo interior.
 
DQO (Exigência Química de Oxigénio): Concentração em volume de oxigénio (O2) equivalente à quantidade de dicromato consumido quando uma amostra de água é tratada com este oxidante nas condições definidas. Unidades: mg/l.
 
EMULSÃO: Mistura íntima de óleo e água, geralmente de aparência leitosa ou turva. Esta mistura é de natureza química e não física. Os separadores de hidrocarbonetos são concebidos para efectuar uma separação física dos líquidos leves, óleos e hidrocarbonetos, que são arrastados pelas águas pluviais ou de limpeza. As emulsões estáveis não podem ser separadas nos separadores de hidrocarbonetos.
 
ESTUÁRIO: É a zona de transição na desembocadura de um rio, entre as águas doces e as águas costeiras. Cada estado membro determinará os limites exteriores (orientados para o mar) dos estuários para efeitos da Directiva 91/271/CEE de águas residuais urbanas, dentro do programa para a sua aplicação a que se referem as secções 1 e 2 do artigo 17º.
 
EUTROFIZAÇÃO: É o enriquecimento da água em nutrientes, especialmente compostos de azoto e/ou fósforo, que provoca um crescimento acelerado de algas e espécies vegetais superiores, com alterações não desejadas no equilíbrio entre organismos presentes na água e na qualidade desta.
 
FILTRO BIOLÓGICO: É um sistema de depuração biológica de águas residuais, em que a oxidação se produz ao fazer circular ar e água residual, através de um meio de suporte (filtro de pressão). A circulação do ar efectua-se de forma natural, por efeito da diferença de temperaturas do ar e da água. Ao aquecer ou arrefecer, o ar dentro do leito produz uma alteração de densidade, provocando a circulação do mesmo.
 
LEXIVAGEM: Fraccionamento líquido que se produz por decomposição ou putrefacção da matéria orgânica ou pela água que passou através de material contaminado, por exemplo através de lodos ou resíduos de um esgoto.
 
LAMAS: Massa biológica produzida durante o tratamento da água residual pelo crescimento de bactérias em suspensão e outros microrganismos em condições aeróbias ou anóxicas.
 
MES: As matérias em suspensão (MES) são a concentração em volume de sólidos num determinado líquido, normalmente por filtração ou centrifugação e posterior secagem em condições definidas. Unidades: mg/l.
 
OBTURAÇÃO: É um dispositivo de segurança através de bóia que impede a saída de hidrocarbonetos para o exterior quando o equipamento está cheio, evitando assim um vertimento contaminante.
 
OXIDAÇÃO BIOLÓGICA: Processo em que a matéria orgânica é decomposta através do fornecimento de oxigénio à actividade dos microrganismos.
 
PRÉ-TRATAMENTO: Etapa de tratamento que compreende a eliminação dos sólidos grossos, areia, gravilha ou material flutuante da água residual.
 
PURGA: Extracção periódica de lodos dos decantadores das depuradoras de oxidação total (ROX), para manter a concentração de lamas activas no tratamento biológico dentro dos parâmetros necessários ao óptimo funcionamento do sistema.
 
RENDIMENTO: Percentagem de efectividade de um processo de transformação.
 
SISTEMA COLECTOR: Sistema de saneamento projectado para transportar tanto águas residuais como de escoamento superficial.
 
AREJADOR: Elemento electromecânico encarregado de fornecer o oxigénio necessário para oxidar a matéria orgânica presente na água residual similar a doméstica, introduzindo-o no reactor através dos difusores. Dependendo da ROX, será dos seguintes modelos: nas ROX de pequenas comunidades (ROX 5 a ROX 15), é um compressor de membrana; nas ROX de médias comunidades (ROX 20 a ROX 150), é um compressor de palhetas; nas ROX de grandes comunidades (ROX 200 a ROX 2.000) é uma turbina de canal lateral ou de êmbolos rotativos, conforme a quantidade de ar exigido.
 
TRANQUILIZADOR:: Elemento de forma cónica que liga o reactor ao decantador da ROX e cuja função é acalmar as águas agitadas pelo arejamento no reactor para evitar remexer as lamas já decantadas no decantador.
 
TRATAMENTO ADEQUADO: É o tratamento das águas residuais urbanas através de qualquer processo e/ou sistema de depuração em virtude do qual se obtém uma qualidade de vertimento dentro dos parâmetros estabelecidos pela Confederação Hidrográfica a que pertence.
 
TRATAMENTO PRIMÁRIO: É o tratamento de águas residuais urbanas através de um processo físico e/ou químico, que inclui a sedimentação de sólidos em suspensão ou outros processos, e em que a DBO5 das águas residuais seja reduzida, pelo menos, em 20% antes do vertimento e o total de sólidos em suspensão se reduza pelo menos em 50%.
 
TRATAMENTO SECUNDÁRIO: É o tratamento de águas residuais urbanas através de um processo que inclui um tratamento biológico com sedimentação secundária ou outro processo em que se cumprem os seguintes requisitos:

  1. Redução mínima em DBO5: 70% – 90%, ou que a concentração em DBO5 à saída do tratamento seja de 25mg/l O2.
  2. Redução mínima em DQO: 75%, ou que a concentração em DQO à saída do tratamento seja de 125mg/l O2.
  3. Redução mínima em MES: 90%, ou que a concentração em MES à saída do tratamento seja de 35mg/l O2.

TRATAMENTO TERCIÁRIO: É o tratamento por processos adicionais, que permitem uma purificação superior à obtida com a aplicação dos tratamentos primário e secundário. Frequentemente, pode-se integrar este tratamento no secundário, dependendo do tipo de eliminação que se pretenda conseguir.
 
Tipos de terciários: eliminação de nutrientes (principalmente azoto e fósforo), lagunas de clarificação, desinfecção (através de UV, ozono, cloro ou outro tratamento equivalente), filtração, etc.
 
VENTILADOR: Joelho de PVC que se coloca nos equipamentos para sair o ar do seu interior quando estes se enchem de líquido.
 
FILTRO THOMPSON: Elemento com forma de dentes de serra integrado nas depuradoras de oxidação total (ROX), nos decantadores e nos espessadores à saída do efluente. A sua principal função é a de clarificar o efluente, com o objectivo de desfazer as espumas formadas e reter os materiais sólidos.